quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Bresson, quero brincar!

Semana passada fui ver a exposição do Bresson, conhecido pelo seu brilhantismo em captar o cotidiano ao ponto de elevá-lo ao extraordinário, apressava-se em dizer que o extraordinário acontece com frequência.
Experimentei, caminhei pelas ruas procurando o sublime que se mostra no corpo. Comprovei mais uma vez a genialidade do fotógrafo - depois da frustração de não conseguir as fotos desejadas -, resolvi abrandar a tristeza, descrevendo-as. A partir de agora, fique de olhos bem abertos:
Imagem1 – As três moças da rua Avanhandava
Caminhava pela rua, quando reparei em três moças encolhidas umas nas outras, unidas de tal modo que fez lembrar a Medusa, tentavam em vão proteger seus vestidos curtos do vento forte, ao fundo, senhores vestidos elegantemente observavam a cena.
Imagem 2 – Dois ganhadores de um único jogo
Em uma esquina no centro da cidade, dois garotinhos brincavam de apostar corrida em volta de um canteiro. Até que um deles desistiu ao perceber que não alcançaria o outro, o duelo estava perdido. O outro, quando notou que perderia o parceiro de brincadeira, diminuiu o ritmo, deixando que o adversário ganhasse. Acredito que só Bresson conseguiria fotografar o momento da vitória: o do primeiro porque ganhou e do segundo porque brincava.
Cena 3 - Área para fumantes
Finalmente consegui tirar uma foto, mas confesso, essa foi fácil. Os cativos, digo, fumantes, não podiam se movimentar muito durante o ato. A cena cotidiana me chamou atenção pela (...). Diga você, o que vê?

Eu só quero brincar...

4 comentários:

Mill disse...

ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

lindona

hermana, que foda isso....

A melhor cena foi a dos meninos brincando

linda

antonio rafael disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
antonio rafael disse...

eu eu passando por aqui pequena e grandiosa Claudianaa!!!

rs...

=D

Rafael

Brait disse...

nossa... que moças bonitas essas da foto...