quarta-feira, 4 de março de 2009

Beleza e Resignação?


O Chico, dias desses, em uma bebedeira amorosa disse: “ existem coisas tão lindas, que eu prefiro não tocar”.
Isso me veio à cabeça, enquanto observava minha sobrinha brincar. Se eu a tocasse, ou chamasse sua atenção, interromperia não apenas o curso de sua brincadeira, mas toda a magia envolvida. Possivelmente, roubaria o sorriso do seu rosto.
Será que foi esse mesmo respeito pela beleza que fez o seu Cesário nunca ver uma ópera inteira em toda sua vida? Mesmo sendo umas das suas paixões. Ou ele preferia partir com elas inacabadas, partindo com elas, ao invés de vê-las finalizadas?
Será que é esse o respeito que devo ter por noites como àquela? Em que as certezas são tão simples como o encaixe das nossas mãos? É... por você, por mim, por Nós, apagarei o seu contato, mudarei de calçada quando te encontrar na rua e, se, por acaso, nossos olhos se cruzarem, te olharei como olho para todos os outros.
Covardia?
Não, coragem. Covardia seria te procurar. Coragem é não tocar em uma história tão linda.

11 comentários:

Anônimo disse...

"A observação é ferramenta fundamental no processo de buscar objetivos desejados. O observador, envolvido no ato de observar, encontra-se num estado especial que pode ser comparado a uma espécie de levitação..."

Anônimo disse...

A satisfação é a morte do desejo.

Mill disse...

O Anonimo está inspiradissimo hoje hein...

Hermana, lindissimo texto, mas eu não julgaria certas atitudes como covardes ou valentes... Essas definições meio que dão medo, ainda mais quando se trata de algo muito aberto...

Eu diria ser uma escolha, que não se julga covardia ou valentia, mas uma escolha que pode temperar a vida, com digamos, aquela sensação de não saber.... a vida é linda sem nós, com a gente apenas olhando, mas a gente vivendo ela é algo que a tecnologia corre muito atrás e a natureza nos deu a milhões de anos....

INTERATIVIDADE

amo-te querida

Ps.: A Nossa hermana Gabi acho que tem a sua visão em relação ao blog... ela visita, lê, admira, mas prefere não intervir rsrsrs

Anônimo disse...

Oi Mill
Quando nos identificamos com o texto, a inspiração flui naturalmente...
Bjokas

Clau disse...

Hum, quer dizer que é uma anônima??..rs

Fabio Chiorino disse...

sobre relacionamentos, não tenho regras. Mas sobre sobrinhas eu confesso que não consigo manter distância. Sou um tio que enxerga a beleza, mas vê a necessidade do contato físico para desfrutar dela

Anônimo disse...

Bom dia!!!
Oi Clau, sim, sou uma anônima... mas podem me chamar de Véu...

Gabi disse...

Belo texto para uma conclusão após tantos relatos.rs.

Eu já interagi bastante com essa história, nesse como tantos outros textos da mesma autora prefiro apenas admirar, dá a mesma sensação de ver sua sobrinha brincar.

Beijos vizinha flor.

Vanessa disse...

Clau,

Que lindo texto!!!
Como é bom saber que você compartilha todas essas histórias e sensações com a gente!

Maria Rita disse...

Clau...

Adorei o texto, me identifiquei muito com ele, tbm, como boa virginiana, adoro observar as pessoas...

Beijao

Giana disse...

Você sempre observando, né ???? Parabéns de novo....bonito texto amiga